Líder do centrão, Arthur Lira é o novo presidente da Câmara

 O deputado Arthur Lira (PP-AL), 51 anos, é o presidente da Câmara pelos próximos 2 anos. Ele era o favorito e foi eleito nesta 2ª feira (1º.fev.2021) com 302 votos no 1º turno –precisava de 257. O principal adversário era Baleia Rossi (MDB-SP), que teve 145 votos.

Em seu 1º discurso depois da vitória, Lira defendeu a vacinação contra a covid-19, o equilíbrio nas contas púbicas e mais harmonia entre os Poderes. Eis a íntegra do discurso (53,4 KB).

O resultado é uma vitória para Jair Bolsonaro. O presidente da República agora terá um aliado à frente da Casa. Rodrigo Maia (DEM-RJ), que presidia a Câmara de 2016, teve atritos com Bolsonaro em diversos momentos e barrou projetos que são caros ao bolsonarismo.

Mais cedo, o Senado elegeu Rodrigo Pacheco (DEM-MG) como presidente. Ele também é aliado de Bolsonaro. Agora, em tese, o presidente da República terá mais facilidade para entregar ao eleitorado mudanças conservadoras na vida do país, que prometeu na campanha para chegar ao Planalto em 2018. Isso é importante para manter uma base de apoio até 2022, quando tentará reeleição.

Também poderá ter mais facilidade com propostas da área econômica. Ainda que a agenda de Baleia Rossi tenha pontos de contato com a do ministro da Economia, Paulo Guedes, o candidato estava aliado a partidos de esquerda, o que poderia dificultar a tramitação dos projetos liberais.

Sérgio Lima/Poder360

Lira disse, ao longo da campanha, que pautará qualquer projeto que tenha apoio suficiente para ser aprovado.

Além de Lira e Baleia, houve outros 6 candidatos. A seguir, a votação de todos eles:

Fábio Ramalho (MDB-MG): 21

André Janones (Avante-MG): 3

Marcel Van Hattem (Novo-RS): 13

Luiza Erundina (Psol-SP): 16

General Peternelli (PSL-SP): 1

Kim Kataguiri (DEM-SP): 2

Com a vitória de Arthur Lira, aliados de Jair Bolsonaro esperam que sejam votados projetos para facilitar o porte de armas e regulamentar a mineração em terras indígenas, por exemplo.

Esse tipo de proposta só sai do papel com o consentimento do presidente da Câmara porque é prerrogativa do cargo definir quais projetos os deputados vão analisar e quando.

Ter um aliado à frente dos deputados também é importante para o Executivo porque é o presidente da Câmara quem decide se os pedidos de impeachment terão andamento ou não.  Até esta 2ª feira, mais de 50 pedidos de afastamento já haviam sido apresentados à Câmara

Ao longo da campanha, Lira prometeu chegar a um acordo para instalar a CMO (Comissão Mista de Orçamento) e aprovar o Orçamento de 2021 ainda em fevereiro.

Também falou em votar as reformas administrativa e tributária no 1º semestre. Além da PEC Emergencial, que dá ao governo permissão para cortar gastos obrigatórios.

Lira aproximou-se de Bolsonaro ao longo de 2020. Intermediou e articulou a transformação de seu grupo político na Câmara em apoio ao governo. Assim, tornou-se o candidato preferido do Palácio do Planalto.



Por CAIO SPECHOTO e DOUGLAS RODRIGUES / Poder 360

0/Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem