Estado inicia distribuição de novas doses da Coronavac para vacinação de idosos com mais de 90 anos

 A Secretaria de Estado da Saúde (SES) iniciou a distribuição de novas doses da vacina Coronavac para todos os 75 municípios sergipanos, nesta terça-feira (9). Foram enviadas para as regionais de saúde do Estado, nove mil cento e seis doses de vacina contra a Covid-19. O objetivo é iniciar a primeira dose da vacinação de idosos com 90 anos ou mais, público prioritário nesta segunda fase de imunização, ao lado da população indígena e dos trabalhadores da saúde, que já começam, hoje, a tomar a segunda dose do imunobiológico.



Seguindo a mesma logística exitosa das etapas anteriores, os três caminhões carregados de vacinas saíram às 7 horas da manhã da Central de Imunização com destino as Regiões de Saúde do Estado: Lagarto, Estância, Itabaiana, Propriá e Nossa Senhora da Glória. As regionais de Aracaju e Nossa Senhora do Socorro retiram as doses na própria Central, que funciona no Centro Administrativo da Saúde Senador Gilvan Rocha.


A secretária da Saúde, Mércia Feitosa, explicou que nesse processo de vacinação cabe à Secretaria de Estado da Saúde o armazenamento e a distribuição das doses de vacina; a elaboração de estratégicas para otimizar o processo de vacinação; a construção de notas técnicas feitas em parceria com o Conselho dos Secretários Municipais de Saúde (Cosems/SE) para a definição de critérios, além da capacitação de vacinadores e apoio técnico-logístico aos municípios, quando há necessidade.


“A vacinação é uma tarefa dos municípios e a eles cabe acelerar o processo para que tão logo cheguem mais vacinas, possamos avançar para outras faixas etárias de idosos”, declarou a secretária, informando que os municípios menores podem começar a vacinar os idosos na tarde desta terça-feira, já que todos foram avisados para retirarem as doses nas sedes das regionais no dia de hoje. Alguns municípios têm apenas nove ou 10 idosos na faixa dos 90 anos.


Ainda segundo a secretária, os municípios foram orientados a formarem cadastro de todos os idosos, com o objetivo de identificar quantitativo, domicílio e condição de mobilidade. Isso porque, a pessoa que não poder se deslocar para a Unidade Básica de Saúde (UBS) será imunizado no próprio domicílio.


Mércia Feitosa explicou que, após a vacinação daqueles com 90 anos ou mais, paulatinamente, serão inseridas as demais faixas etárias de acordo com cronograma do Ministério da Saúde. “Se nós recebêssemos vacina em grande quantidade, certamente já teríamos um cronograma detalhado por faixa etária, mas a gente vem recebendo do Ministério da Saúde as doses fracionadas, correspondente à faixa a ser vacinada, o que nos impede de fecharmos um cronograma de vacinação”, considerou.

0/Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem